NADA JUSTIFICA A VIOLÊNCIA – nenhuma!

Eu vi, sem querer, um filme da Siria. Alguém jogando água em uma criança, dois menininhos, desfalecidos, molinhos… Pra tirar o veneno que tinham jogado neles. Meu coração está partido. E eu, estou pensando na violência…
A gente parece que ainda não entendeu que NADA justifica a violência. Que NADA justifica matar… Nenhuma briga por território, petróleo ou religião.
NADA justifica bater. Em adulto, em mulher e, principalmente, em criança. Não interessa a arte que o menino cometeu. O erro que fez. Não interessa se seu pretexto é educar… (como é que educa fazendo errado). NADA!
NADA justifica gritar, desmoralizar, humilhar… Nem numa discussão, nem numa briga, nem em lugar nenhum. NADA!
Diz o que sente… Expressa, explica, conversa… É diferente…
NADA justifica assediar, estuprar. Nenhuma saia curta, nenhum decote, nenhuma risada mais alta, nenhum olhar convidativo. NADA!
NADA justifica denegrir a imagem do outro… Falar mal, desmerecer… Dizer que é pior, esquisito, errado, gay, burro, feio… NADA justifica o bulling, nem de criança, nem de adulto. Se o outro te incomoda, fale com ele, limite-o, ou, faça terapia.
NADA justifica as exigências que fazemos aos que amamos, a não ser nossas próprias vontades. NADA justifica as vinganças que tramamos quando não somos atendidos. Quando não fazem o que queremos.
NADA PODE JUSTIFICAR A VIOLÊNCIA… Então, podemos começar a pensar em parar de explicar porque estamos fazendo isso, e, simplesmente parar. JUSTIFICAR A VIOLÊNCIA É CONCORDAR COM ELA. É nos permitir continuar… É acreditar nas explicaçõezinhas medíocres que damos a nós mesmos e ao mundo pra manter a aparência de bonzinho. Parece que não entendemos ainda esse descabimento. Ou não queremos nos responsabilizar pela nossa violência pra continuar a cometê-la…
Assumir pra transformar… Começar com a paz na minha vida, pra que ela se expanda, para que fiquem evidentes os absurdos que cometemos, antes deles se tornarem incontroláveis.Pois como está, é tanto, e tão absurdo, que nem percebemos. Parece normal humilhar, gritar, bater em criança, mexer com mulher na rua, falar mal do ¨amigo¨, exigir que o outro seja quem eu quero… Do jeito que está, só fica absurdo o escatológico, e quando vemos, já foi…
NADA pode explicar, pra mim, uma criança ser envenenada por uma arma química. NADA JUSTIFICA A VIOLÊNCIA…
Pra mim, alguém precisa começar a parar, ou, onde vamos parar?
(Paula Jácome)

Comentários

comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *